23 / Março / 2019

Sábado

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Construção cresce 3,5% em 2018

12 de Dezembro de 2018 às 10:15:15

tamanho da letra:

Economia

A atividade do setor da Construção manteve-se positiva ao longo de 2018, estimando-se que a sua produção anual venha a registar um acréscimo de 3,5%, em termos reais, face ao ano anterior.

O dinamismo do segmento dos trabalhos de engenharia civil deverá revelar-se o mais moderado de entre as diferentes atividades do Setor, crescendo o seu volume de produção em redor dos 2,0%.
Por seu turno, o segmento da construção de edifícios deverá registar uma evolução mais expressiva, +4,9% em termos reais, com um acréscimo de 7,0% na produção de edifícios residenciais e um crescimento de 2,8% na construção de edifícios não residenciais.
Na evolução deste último segmento, destaca-se o crescimento de 4,0% da produção da sua componente pública, enquanto a construção privada de edifícios não residenciais deverá vir a registar um acréscimo de apenas +2,0%, em volume.
Em linha com as estimativas apresentadas, a evolução do emprego do Setor tem vindo a revelar-se positiva ao longo do ano, tendo registado um aumento de 1,8% até setembro de 2018 (mais 5,3 mil trabalhadores do que em igual período de 2017). De realçar que, em média, o setor da Construção empregou 309,9 mil trabalhadores nos primeiros 9 meses de 2018, representando 6,4% do emprego total da economia nesse período.
Em termos de desempregados oriundos do setor da Construção e inscritos no IEFP, registou-se uma redução de 27% entre os meses de setembro de 2017 e de 2018, encontrando-se contabilizados, nesse ultimo mês, 26,7 mil desempregados vindos da construção, o que constitui o valor mais baixo desta série desde o seu início, em janeiro de 2008.
Por último, importa salientar que o consumo de cimento vem revelando um perfil de evolução semelhante ao dos restantes indicadores já referidos, tendo registado uma evolução positiva até setembro de 2018 (+3,5% em termos homólogos, atingindo o consumo acumulado para os primeiros nove meses do ano as 2.094 mil toneladas).
Entretanto e de acordo com os dados publicados pelo INE referentes aos três primeiros trimestres de 2018, a economia portuguesa cresceu 2,2%, em termos reais, o investimento total da economia evoluiu a uma taxa real de +4,3%, o consumo das famílias cresceu 2,4% e o consumo público registou um acréscimo de 0,7%.
Ainda com base nos mesmos dados, o investimento em construção cresceu, em termos homólogos, 2,7% ao longo dos 3 primeiros trimestres de 2018, enquanto o Valor Acrescentado Bruto do Setor evoluiu, no mesmo período, a uma taxa de +1,7%.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.