17 / Agosto / 2018

Sexta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Construção recupera no primeiro trimestre de 2018

04 de Junho de 2018 às 15:15:24

tamanho da letra:

Economia

Ao longo dos primeiros meses de 2018 vários indicadores associados ao desempenho do setor da Construção revelaram sinais positivos.

Segundo os dados divulgados pelo INE, o emprego da construção atingiu os 303,9 mil trabalhadores ao longo dos três primeiros meses de 2018, +0,1% do que em igual período de 2017. Neste período, o emprego total da economia cresceu 3,2% em termos homólogos, enquanto a taxa de desemprego desceu para os 7,9%, um nível francamente inferior aos 10,1% apurados no período homólogo de 2017, ou seja, menos 114 mil pessoas desempregadas num espaço de um ano. Parte deste número corresponderá a trabalhadores da construção, dado que, com base nos valores divulgados pelo IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional), o número de desempregados da construção inscritos nos centros de emprego diminuiu 26% em março face ao mesmo mês de 2017 (-12 mil inscritos oriundos da construção).
De igual modo, os valores das contas nacionais trimestrais relativos ao primeiro trimestre de 2018 apontam para um crescimento homólogo de 2,3% do investimento em Construção e de 0,8% do VAB (Valor Acrescentado Bruto) do Setor em termos reais.
Por seu turno, o consumo de cimento cresceu 1,9% até ao final de abril, indiciando igualmente um aumento da atividade do Setor.
Também a análise por segmentos de atividade permite concluir que tanto a construção de edifícios como os trabalhos de engenharia civil evoluíram favoravelmente.
O número de fogos habitacionais licenciados ao longo dos primeiros três meses do ano ultrapassou os 4,2 mil, representando um crescimento homólogo de 21,1%, enquanto, em termos de área licenciada, a variação homóloga foi superior a 22%.
No que concerne à área licenciada em edifícios não residenciais o crescimento foi igualmente expressivo (variação de +21,3% e uma área total licenciada em redor dos 730 mil m2). O principal destino desta área licenciada foram os edifícios industriais, que representaram 41% da área total, crescendo 40,6% em termos homólogos, a variação mais intensa de entre os diversos destinos.
Já os valores do mercado das obras públicas conhecidos até abril evidenciam uma progressão positiva e permitem antecipar um crescimento da produção dos trabalhos de engenharia civil a realizar no futuro próximo. Deste modo, é de destacar o crescimento homólogo de 13,4% no valor dos contratos de empreitada celebrados até final de abril, atingindo um montante total superior a 411 milhões de euros, a par de um crescimento mais moderado (+0,2%) no valor dos anúncios publicados, cujo montante total ultrapassou os 841 milhões de euros.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.