24 / Outubro / 2017

Terça

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Equipamentos ver todas os artigos desta secção

Gruas Terex apoiam maior obra em curso na Dinamarca

01 de Novembro de 2013 às 17:00:20

tamanho da letra:

Equipamentos

Dezoito gruas planas Terex ® CTT estão a apoiar as obras da quarta e última fase de um dos maiores projetos de construção em curso na Dinamarca: o troço do Metro de Copenhaga designado City Line Circle, avaliado em 1.7 milhões de euros.

A nova linha de metro, com 16 km de extensão, contará com um total de 17 estações - 12 construídas de raiz, três remodeladas e duas já existentes - e vai transportar cerca de 275 mil passageiros por dia.
As referidas torres grua serão usados, inicialmente, para a remoção do material escavado do túnel, e, em seguida, para levantar betão e materiais para a nova construção.
Os trabalhos iniciaram-se em 2012 e serão concluídos em 2018, elevando para 37 o número de estações de metro e unindo diferentes bairros da capital dinamarquesa. As duas novas linhas da Circle Line City - o M3 e M4 - formam um anel gigante em redor da linhas atuais M1 e M2, permitindo a transferência de passageiros entre a as antigas e as novas linhas de metro.

Aquisição em "Full Terex Package”

O projeto está a cargo de um consórcio de empresas - o Copenhagen Metro Team (CMT) -, que adquiriu os 18 guindastes - todos Terex CTT 231, modelo que tem capacidade máxima de elevação de até 12 t e com diferentes alturas sob gancho e comprimento de lança -, atenta “a combinação da boa capacidade de elevação com o um controlo preciso e fácil de movimentos”, afirma o fabricante deste equipamentos, em comunicado. A compra foi efetuada como parte do "Full Terex Package”, que inclui consultoria especializada em configuração, posicionamento, montagem, manutenção, formação e apoio técnico. A prestação das componentes do pacote é permanente durante todo o projeto e ajustável a novas exigências e necessidades do cliente para o equipamento em projetos futuros.
Exemplo disso, especifica a Terex, foi o apoio para cumprir a regulamentação dinamarquesa local, que exige que todos os guindastes com mais de 25 m possuam um elevador para que o operador possa alcançar a cabine. Para o efeito, o fabricante teve de contactar um fornecedor de elevadores sueco, nas proximidades de Malmö, e não só resolveu o problema com uma solução chave na mão, como treinou os engenheiros da empresa de manutenção para ajudar a apoiar o guindaste.
O fabricante também ajudou com a logística envolvida na entrega dos guindastes no movimentado centro da cidade, incluindo a realização de cálculos para a colocação de carris especiais e faixas necessárias ao transporte para alguns dos guindastes, um plano detalhado para erguer os equipamentos e orientações para aplicações curtas dos respetivos braços.
"As gruas, os conselhos dos especialistas e o apoio técnico da Terex têm sido excelentes", afirma Eliseo Marsiglio, gerente de projeto da CMT. "Este é um contrato complexo, mais difícil por se situa no centro de Copenhaga. Estes guindastes de torre CTT estão projetados para trabalhar em locais confinados e têm muito boa capacidade de elevação – ainda é cedo, mas, no momento, estamos muito satisfeitos com o investimento realizado."
Ivo Romanelli, gerente de serviços da Terex Cranes, corrobora que "o cronograma de construção apertado e a localização no centro da cidade representam grandes desafios para a prestação do serviço e apoio. Mas temos tido um feedback muito positivo do cliente CMT.”

Aconselhamento constante

Inicialmente, pensava-se que metade dos guindastes de torre CTT 231 teria uma base convencional de betão, enquanto as outras teriam um chassis sobre carris.
No entanto, devido às contínuas mudanças na configuração de alguns dos locais e variações geológicas, apenas um guindaste foi até agora montado num chassis de viagem, com 30 m de carris. Está programado que mais cinco guindastes venham a ser erguidos nos carris, mas tal vai depender de vários fatores.
"Os guindastes têm que realizar duas atividades diferentes – primeiro, levantar o material demolido do túnel através do poço e, em seguida, movimentar os materiais de construção", explica Romanelli." Estamos continuamente a aconselhar o cliente sobre a melhor colocação de cada guindaste, incluindo o comprimento de lança, e se se deve ter um chassis de transporte ou fundação normal, depois de falarmos com o responsável do estaleiro de cada estação."
As fases iniciais da construção também resultaram na maior escavação arqueológica de sempre realizada na Dinamarca, proporcionando ainda aos arqueólogos a oportunidade de mapear a história de Copenhaga. Uma descoberta já feita é de um porto do século VIII, o que significa que a cidade tem mais cerca de 300 anos do que se pensava anteriormente.

 

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.