28 / Setembro / 2020

Segunda

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Empresas ver todas os artigos desta secção

Ecoinside estreia fundo de 15 milhões para investir em projetos de energias renováveis

05 de Agosto de 2020 às 16:17:56

tamanho da letra:

Empresas

A tecnológica de energias renováveis Ecoinside estreou um fundo de investimento de capitais próprios, no valor de 15 milhões de euros, destinado a apoiar as empresas portuguesas na transição energética e na redução de consumo de energia elétrica.

O investimento foi feito na instalação de mais de 1100 m2 de painéis fotovoltaicos, o equivalente à área de uma piscina olímpica, na empresa Telbac, em Amarante.
A empreitada é o primeiro projeto a usufruir do fundo da Ecoinside, que, durante um período de dez anos, será a detentora da Unidade de Produção para Autoconsumo (UPAC) e ficará responsável pela operação e manutenção dos equipamentos instalados. 
A empresa do setor dos congelados Telbac vai beneficiar da partilha da poupança gerada pela central, que se vai traduzir em cerca de 3 mil euros mensais, segundo se afirma em comunicado.
“A central fotovoltaica instalada será responsável pela produção de quase 32% das necessidades energéticas da Telbac e vai evitar que mais de 51 toneladas de CO2 sejam lançadas, todos os anos, para a atmosfera, tendo um impacto equivalente ao da plantação de cerca de 780 árvores”, acrescenta-se no mesmo documento.
O fundo agora inaugurado permite que as empresas alberguem nas suas instalações centrais fotovoltaicas que produzem eletricidade a partir de energia solar, para aí ser consumida. Conseguem-se, assim, poupanças imediatas interessantes, adaptadas às necessidades energéticas de cada indústria.

Ajudar as empresas a atingirem objetivos do Plano Nacional de Energia e Clima

“Este é o primeiro de muitos projetos que pretendemos desenvolver na área da produção energética sustentável, recorrendo ao fundo que criámos para todas as pequenas e médias empresas (PME) que pretendam juntar-se a nós na construção de um futuro mais verde e economicamente mais viável. É um passo que fará, certamente, a diferença, e que ajudará Portugal a fazer a sua parte rumo à descarbonização da indústria e da economia”, afirma António Cunha Pereira, CEO da Ecoinside.
A Ecoinside tem já agendados 10 projetos que vão utilizar este fundo de investimento, ainda durante este ano. A medida pretende auxiliar as empresas portuguesas a cumprirem com as metas do Portugal 2030, que estabelecem que, já no início da próxima década, Portugal deve contar com 80% da sua energia a ser fornecida a partir de fontes renováveis e com uma redução de 50% das emissões de carbono.
A Ecoinside nasceu em 2006, no Porto, e é uma tecnológica especializada em soluções de energias renováveis, eficiência energética e sustentabilidade.
Com um portfólio de mais de 200 clientes, a Ecoinside tem registado um crescimento sustentável
ao longo dos seus 14 anos de existência, tendo obtido em 2019 um volume de negócios anual superior a 2 milhões de euros.
Ser parceiro de empresas, autarquias e indústrias para que possam alcançar os objetivos do Green Deal e do Portugal 2030 é o principal propósito estabelecido para os próximos cinco anos por António Cunha Pereira, CEO da Ecoinside. 

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.