12 / Julho / 2020

Domingo

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Empresas ver todas os artigos desta secção

Casais traz movimento CREE para Portugal e aumenta aposta na sustentabilidade

29 de Maio de 2020 às 10:16:04

tamanho da letra:

Empresas

O Grupo Casais tornou-se parceiro, para o mercado português, da CREE Buildings, uma rede internacional de empresas com know-how na construção com madeira híbrida, para, “de uma forma inovadora e sustentável, desenvolver grandes volumes de construção em prazos curtos e com grandes níveis de eficiência”.

Esta nova aposta do Grupo Casais, “no crescimento da industrialização e na implementação de soluções de construção mais sustentáveis”, será apresentada hoje, durante a visita dos secretários de Estado do Planeamento, José Gomes Mendes, e das Infraestruturas, Jorge Delgado, às instalações industriais da construtora, em Braga, informa-se em comunicado.
Estas soluções, acessíveis aos representantes da CREE Buildings, em países como Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Japão, Luxemburgo, Singapura, Suíça, e, agora, Portugal, permitem “a construção de edifícios híbridos de madeira de alta qualidade, sendo um produto confiável e com baixo risco execução, explica-se em comunicado.
“A orientação e as soluções de madeira híbrida sustentável da CREE estão em sintonia com o nosso posicionamento presente e futuro na indústria da Construção. A nossa missão é construir de forma responsável, incorporando práticas sustentáveis, que criem valor para os nossos clientes e para a sociedade como um todo a longo prazo”, explica António Carlos Rodrigues, CEO da Casais.
Por sua vez, Hubert Rhomberg, CEO e cofundador da CREE Buildings, afirma que o sistema que ajudou a criar “está a mudar a face da indústria da Construção. Ao estabelecermos colaborações com parceiros autorizados, como o Grupo Casais, estamos a acelerar este processo de mudança”.
No âmbito desta licença, o Grupo Casais assume um papel pioneiro na indústria e no mercado nacional. “O desempenho ambiental da Casais continua a evoluir de forma sustentada desde a decisão de implementação de programas de eficiência para potenciarmos os nossos edifícios de ‘Elevado Perfil Ambiental’. Reforçámos este desempenho com a adoção de critérios ambientais, sociais e de governance, que agora abrangem desde a Energia a Sistemas de Construção, como o que é disponibilizado pela CREE”, continua o CEO.
No essencial, o sistema CREE baseia-se numa matéria-prima natural renovável, a madeira, para pré-fabricar componentes individuais padronizados, como painéis de teto e de fachada, pilares e estruturas. Estes podem ser rapidamente montados no local da obra, reduzindo as emissões de carbono, o ruído e as poeiras e permitindo economizar tempo e recursos, e criar valor, ao maximizar processos que reduzem o custo global e contribuem, de forma direta, para a redução de resíduos. “Hoje, precisamos de construir edifícios que se adaptem às necessidades e que acompanhem as mudanças dos negócios, das empresas e das pessoas. Por essa razão, precisamos de edifícios que sejam cada vez mais flexíveis, mas também duradouros, e o sistema CREE permite-nos isso”, concretiza António Carlos Rodrigues.

Industrialização é ferramenta para “edifícios de alto perfil ambiental”

A industrialização tem vindo a ser a ferramenta da Casais para aumentar a eficiência, que considera essencial para a transição do setor da Construção, no qual a tendência será cada vez mais assente em produtos e sistemas pensados e produzidos de uma forma integrada, permitindo, assim, transformar a construção num processo de montagem de componentes que podem ser configurados de diferentes formas para atingir o resultado final. Nesta vertente, a construtora integra 13 empresas – Socimorcasal, Socimorcasal Angola, Probetão, HidroCNT, Undel, Carpin Wood & Metal, Metalser, EIA – Electro Ideal Angola, Carpinangola, Ampere Energy Portugal, Hidroangola, Quadrina e RMCasais –, que lhe permitem assumir um posicionamento verticalizado.
Numa perspetiva de edifício “carbono zero” e na lógica dos “Nearly Zero Energy Buildings” (NZEB), a Casais assumiu a linha da frente desta transição para uma construção mais sustentável em 2008, com o lançamento da marca GO GREEN BUILDINGS e o projeto Olympo Solutions.
Posteriormente, a empresa desenvolveu e registou a marca EPA (Edifícios de Alto Perfil Ambiental), destinada à promoção de edifícios sustentáveis e que pretende ser o instrumento de suporte ao negócio e contribuir para a fidelização dos clientes numa perspetiva de criação de valor conjunto.
Agora, com esta tecnologia de construção, a Casais prepara a segunda fase da sua unidade industrial, onde projeta produzir os componentes deste sistema construtivo, dando, assim, escala ao crescimento da sua mais recente unidade, a BluFab. Esta tem vindo a dar corpo à transformação do negócio numa visão de construção “industrializada”, onde são já produzidos elementos num processo integrado de construção off-site, conclui-se no referido comunicado  
Os interessados podem seguir a apresentação que decorrerá hoje à tarde, pelas 17h40, pode fazê-lo através do seguinte link.


Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.