18 / Janeiro / 2019

Sexta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Empresas ver todas os artigos desta secção

Invenio Engenharia transforma Habitação do 1º Conde de Campo Bello em Condomínio Residencial

04 de Dezembro de 2018 às 15:35:48

tamanho da letra:

Empresas

A Invenio Engenharia, empresa de construção sediada no Porto, concluiu o projeto de reabilitação do edifício do 1º Conde de Campo Bello, situado no Largo de Alberto Pimentel, em Cedofeita, no Porto.

O projeto arquitetónico da reabilitação é da autoria de Isabel Vincke e a fiscalização da obra esteve a cargo da Afaplan.
O imóvel, mandado construir por Adriano de Paiva de Faria Leite Brandão, 1º Conde de Campo Bello (pioneiro da Telescopia Elétrica), no início da segunda metade do século XIX, manteve-se na família durante várias gerações. A geração atual, de tetranetos, contratou a Invenio Engenharia para a execução desta obra, que deu origem ao empreendimento Casa das Oliveiras, conta a empresa em comunicado
De acordo com Paiva Ribeiro, administrador da Invenio Engenharia, «foi um projeto muito exigente, nomeadamente na preservação da “alma” do edifício, através da recuperação de inúmeros elementos originais. Um desafio que nos deu imenso gosto, não só pela delicadeza do processo, mas também pelo lado rigoroso da execução. O facto de ser um imóvel direcionado para a habitação residencial de longa duração, permite-nos ainda contribuir para a colmatação do défice de habitação direcionada a jovens famílias que se pretendem instalar no centro da cidade», concluiu.
O projeto de arquitetura teve como objetivo transformar aquela que era uma só moradia em vários apartamentos, destinados a famílias que queiram viver no centro histórico. «A complexidade do projeto prendeu-se com a criação de novos espaços, mais adaptados ao estilo de vida atual sem se perder a identidade e as características originais do edifício. Tal como acontecia originalmente, em que em cada sala havia um teto diferente, uma porta excecional ou uma chaminé em pedra, cada apartamento manteve essa diversidade que tanto caracteriza e enriquece o edifício. Preservaram-se ainda as fachadas e paredes de meação em alvenaria de pedra, a estrutura dos pisos em travejamento de madeira revestido a soalho maciço, a escadaria central em madeira e a cobertura com estrutura em madeira coberta com telha marselha», salienta Isabel Vincke.
A abertura de dois terraços na cobertura permite que aquele que antigamente era um espaço inutilizado se transforme agora em dois apartamentos, com zona exterior e uma vista desafogada sobre o centro histórico.
No interior do quarteirão, para além do estacionamento destinado a todo o prédio, foi ainda reabilitada uma ruína, um antigo estábulo, transformado agora numa pequena moradia duplex com jardim privado.
“A Casa das Oliveiras situa-se em pleno coração do Porto e combina a herança histórica com a oferta residencial contemporânea. Composto por oito apartamentos, distribuídos por quatro pisos, dispõe de tipologias de T0, T1, T2, T2 Duplex e T3, cinco deles disponíveis para venda e três para arrendamento. As áreas totais das habitações para venda variam entre os 47m2 e os 99m2. Por sua vez, as casas para arrendar têm áreas compreendidas entre 80m2 e os 136m2. Os dois espaços situados no piso térreo têm como fim a atividade comercial e agregam áreas de 90m2 e 139m2”, informa-se no referido comunicado.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.