20 / Agosto / 2018

Segunda

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Empresas ver todas os artigos desta secção

Gabriel Couto constrói fábrica de componentes aeronáuticos em Grândola

17 de Maio de 2018 às 12:02:24

tamanho da letra:

Empresas

A Lauak, multinacional francesa que opera no sector da produção de componentes para a indústria aeronáutica, escolheu a Gabriel Couto para a construção da sua nova unidade fabril, a qual ficará implantada em Grândola, no distrito de Setúbal.

“Este é mais um desafio a ser alcançado num prazo muito exigente, o que revela a confiança que este tipo de empresas e grupos multinacionais têm vindo a depositar na competência apresentada pela nossa empresa”, refere a propósito Carlos Couto, CEO do Grupo.
Este investimento que inicialmente estava previsto ser de 25 milhões de euros foi incrementado em 30%, passando a atingir um valor global que rondará os 32 milhões de euros, após o êxito alcançado nas negociações com a Airbus que entregou à multinacional francesa a produção de um número muito maior de componentes. Por este motivo, a Lauak de Grândola vai ter três linhas autónomas de produção e irá produzir peças destinadas ao A320 da Airbus e, num futuro próximo, também fornecerá componentes para os modelos A350 e Falcon.
“Na primeira fase há que proceder à remoção de terras e, logo depois, na segunda fase vamos começar a construir, de forma a permitir que em outubro a nave principal esteja terminada, para se iniciar a instalação das máquinas. Assim, no início do próximo ano poderemos começar a produção”, refere o Diretor-Geral da Lauak Portugal, Armando Gomes.
Sendo um projeto de conceção/construção, a Gabriel Couto confiou ao gabinete J.A. Arquitectos a elaboração deste projeto, “com respeito pelo o programa funcional definido” pelo dono da obra, “associado a uma linguagem plástica de elevada qualidade (…)”, refere-se em comunicado. A nova unidade será composta pelo edifício fabril principal, edifício administrativo e um edifício social de apoio, interligados e respeitando “os mais rigorosos preceitos na sustentabilidade e na economia dos recursos energéticos”, acrescenta-se no referido comunicado.
O empreendimento está dividido em duas fases e irá ocupar um lote de terreno com uma área total de 41.000 m2, contemplando uma área bruta de construção total final de 22.800 m2. Prevê-se uma primeira fase, em que a fábrica terá, 12.000 m2, sendo mais tarde completada com mais 10.800 m2.
Para garantir os necessários recursos humanos, a empresa deu início ao processo de recrutamento para a formação de trabalhadores nas mais diversas áreas, que irá decorrer ao longo do presente ano. “São formações que vão demorar entre seis meses e um ano”, adiantou o responsável da Lauak em Portugal, indicando que “o processo de formação em "Tratamento de Metais, Montagem de Estruturas e Compósitos", que atribui uma qualificação de nível IV, vai decorrer em Grândola, Évora e Setúbal», prevendo-se a criação mais de duzentos postos de trabalho, num espaço de dois anos.
Regozijado com este investimento, o presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes, considerou que esta nova unidade da Lauak “vai alterar o paradigma de desenvolvimento» no concelho e vai «ter impacto regional positivo» ao nível da criação de emprego.
Para Carlos Couto, “a Gabriel Couto mantém-se focada na inovação e na excelência, já que continua a apostar na vanguarda com a engenharia como motor de inovação e desenvolvimento, e vê, com este tipo de empreitadas, o seu portfólio de obras no mercado nacional reforçado nesta área de grandes projetos e polos industriais».

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.