18 / Novembro / 2017

Sábado

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Empresas ver todas os artigos desta secção

Jofebar encerra 2015 faturação superior a 45 milhões de euros

14 de Abril de 2016 às 15:42:53

tamanho da letra:

Empresas

A Jofebar, com 30 anos de existência, registou um balanço muito positivo referente ao fecho de contas de 2015, tendo obtido um volume de negócio que ultrapassou os 45 milhões de euros, um crescimento de 18% face a 2014, e tem como meta atingir os 50 milhões de euros este ano.

Em 2016, a Jofebar vai investir cerca de 1 milhão de euros numa unidade de produção no México, com o objetivo de reforçar a presença na região e na costa Oeste dos Estados Unidos. A produção da nova fábrica deverá arrancar em setembro e, numa fase inicial, empregará dezasseis colaboradores.
Ainda para este ano, a empresa com sede em Matosinhos e fábricas em Anadia e na Mealhada, pretende arrancar com a produção em Bombaim, na Índia, com um parceiro local, com o objetivo de abastecer o mercado na Austrália, Japão e Coreia. Para além das inúmeras obras mediáticas realizadas em Portugal e as realizadas e adjudicadas em mais de 35 países, que representam, respetivamente, 20% e 80% da faturação da empresa, a Jofebar pretende reforçar a presença além-fronteiras com a diversificação das suas áreas de atuação, que atualmente se centram no setor da Construção.
A especialista na produção de soluções minimalistas continua a apostar fortemente na área de investigação e desenvolvimento, tendo agora um desafio aliciante como a criação de janelas para barcos de cruzeiro – projeto da Douro Azul - que levou a aumentar de três para cinco o número de trabalhadores, conforme destaca a empresa em comunicado.
Impulsionadora de projetos que promovem a excelência na arquitetura junto dos futuros profissionais do setor, em parceria com a Universidade de Coimbra, a Jofebar está a desenvolver um projeto de casas flutuantes com mobilidade em exposição no Alqueva, que se encontra em fase de prospeção comercial.
A empresa conta ainda com uma média de 250 a 300 obras por ano e teve uma valorização de produto na ordem dos 40%.


 

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.