22 / Outubro / 2019

Terça

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Empresas ver todas os artigos desta secção

NVE inicia obra da Cantina Económica de Guimarães

10 de Novembro de 2015 às 10:47:29

tamanho da letra:

Empresas

A NVE iniciou as obras de reabilitação do edifício que vai albergar os serviços da Cantina Económica de Guimarães, atualmente sita no Largo de Donães e que passará a funcionar junto ao novo mercado municipal.

O investimento do Município de Guimarães ronda os 300 mil euros, o prazo de execução é de 210 dias e permitirá, segundo informa a empresa em comunicado, recuperar um espaço atualmente devoluto com dois pisos.
A intervenção consiste na reabilitação de um edifício com um caráter e tipologia de habitação unifamiliar rural, mantendo as suas características intrínsecas, permitindo simultaneamente garantir condições de resposta ao programa fornecido.
A reconversão do edifício existente ao uso proposto procurou manter a estrutura organizacional imposta pela configuração do edifício. O edifício manterá 2 acessos ao seu interior. O acesso ao público será feito pela entrada sul, com a marcação da porta já existente através de um pórtico em madeira, sendo que o acesso privado/serviço será feito na fachada poente, voltada para o recinto da Feira.
Assim, o piso 0 será composto por um hall de entrada, o gabinete administrativo da cantina, os balneários para os funcionários, os balneários para banhos de público, uma despensa para frios, uma lavandaria e um espaço para arrecadação adjacente a todo o corredor de distribuição dos espaços.
O acesso de serviço ao piso superior faz-se pelo aproveitamento da pré-existência de uma varanda em madeira em ruína, e no seu local coloca-se um acesso vertical semi-encerrado. Este volume é “revestido” com um ripado de madeira que permite alguma transparência e permite a ventilação total deste espaço recorrendo a técnicas, padrões e texturas tradicionais.
O piso 1, composto pela cozinha e pela copa e por uma sala de refeições com 66 lugares, será uma área espacialmente liberta de constrangimentos, para o qual será demolida uma parede estrutural e uma série de salas menores. Esta demolição permitirá a criação do acesso vertical de uso público, bem como dar uma resposta superior ao número de lugares solicitados pelo programa.
Relativamente a acabamentos, a abordagem permite a conciliação de materiais e técnicas tradicionais com técnicas contemporâneas, os madeiramentos exteriores serão pintados a tintas de óleo tradicionais, a uma cor próxima do sangue-de boi, utilizado nas fábricas de couros.
“A NVE congratula-se por colaborar mais uma vez com o Município de Guimarães desta feita num projeto de cariz social, salvaguardando o constante aumento na procura que se vem verificando”, conclui a empresa no referido comunicado.  

 

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.