21 / Novembro / 2019

Quinta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Empresas ver todas os artigos desta secção

Lucios constrói sistema de reaproveitamente de águas inovador

16 de Abril de 2013 por Lurdes Neto às 17:25:06

tamanho da letra:

Empresas

A construtora Lucios, acaba de acrescentar ao seu portefólio no setor da indústria ambiental um sistema de reaproveitamento de águas, resultado da construção de um parque para o processamento de escória, uma obra adjudicada pela Siderurgia Nacional da Maia e que entrou agora em funcionamento.

Com a execução deste projeto, a SN Maia vai poupar entre 60% a 70% de água no processo de arrefecimento de escória, afirma em comunicado a construtora.
“A escória é um subproduto de produção de aço que, após o processamento efetuado pela SN Maia, dá origem a um produto certificado (ASIC) que é muito utilizado em bases e sub-bases de pavimentos, bem como em outras obras de construção civil”, explica Joaquim Santos, diretor de produção da Lucios e responsável pela obra.
Filipe Azevedo, administrador da construtora, destaca a componente ambiental da obra.
“Estamos muito satisfeitos com a conclusão desta obra e de com ela poder fazer parte de um projeto pioneiro na Europa, não só pelo seu cariz inovador como também pela sua componente ambiental, ao permitir uma poupança significativa de água”, afirma.
Esta obra vai, assim, permitir à SN Maia o reaproveitamento de toda a água que gasta no arrefecimento da escória (o que anteriormente não acontecia), com a exceção da que se evapora.

Execução da obra

À Lucios coube a execução de muros de suporte, decantador, canais de drenagem, poço de bombagem e impermeabilização do pavimento com telas, bem como a execução das redes de águas pluviais e residuais.
“Para a execução deste parque tivemos que rebaixar o terreno natural, criando uma bacia, a qual impermeabilizamos com uma membrana em PEAD, para que, assim, as águas que arrefecem a escória sejam reaproveitadas, voltando a entrar no circuito de arrefecimento”, explica Joaquim Santos.
Para que a água possa ser reaproveitada, é necessário que estapasse por um processo de decantação, para que todas as partículas sólidas que nela se encontrem sejam retiradas, facto que levou a construtora a aplicar um tanque de decantação.
“A ligação entre a bacia e o tanque de decantação é efetuada recorrendo a uma caleira em betão armado com secção em “U”, que está metade apoiada num talude e outra metade suspensa”, conclui o mesmo responsável.
Além da ligação de redes de águas residuais industriais ao tanque de decantação, a Lucios efetuou também todas as infraestruturas para que o processo funcione, tais como os sistemas elétricos e as telecomunicações.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.