03 / Julho / 2020

Sexta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Rendas Prime nos escritórios: Lisboa marca posição na Europa

20 de Fevereiro de 2020 às 10:48:40

tamanho da letra:

Notícias

Em 2019, Lisboa registou a maior subida na renda prime a nível europeu.Com poucos espaços de escritórios livres por ocupar e procura intensa, as rendas prime sofreram uma evolução positiva e gradual na zona central da cidade, onde os preços praticados são mais elevados.

Esta zona fechou o ano nos 25€/m²/mês, verificando-se um aumento de 19% comparativamente à renda prime de 2018. 
A avaliação é feita pela Worx – Real Estate Consultants, aliada do BNP Paribas Real Estate, que associa estes resultados ao “talento e negócios” que estão a nascer em Lisboa, uma cidade que se tornou “multifacetada: lugar de destino para empresas, investidores e turistas”. 
“Em 2018, mais de 45000 empresas foram criadas em Portugal, assegurando um elevado número de empresas a nascerem em território nacional. O crescimento de filiais estrangeiras também tem acompanhado a mesma tendência ao longo dos anos, em 2018 encontravam-se em Portugal 6825 filiais estrangeiras a operar em Portugal (dados do INE). Estes dados mostram que os inúmeros destaques internacionais concedidos a Lisboa não são uma questão de moda, mas resultado de uma estratégia. Como objetivo está a internacionalização e a afirmação global como cidade empreendedora a nível mundial. Um elevado número de empresas tecnológicas, de inovação e outros setores têm encontrado casa em Lisboa, como é o caso da Google, Farfetch, Microsoft, Fujitsu, Uber, Zomato, Pipedrive, entre tantas outras, começa por defender a consultora imobiliária, antes de avançar com a caracterização do mercado de escritórios na capital portuguesa.
Em relação às rendas prime praticadas em 2019, com base num estudo do BNP Paribas em parceria com a Worx, as cidades que mais se destacaram foram Lisboa com uma variação de cerca de 19%, Berlim com cerca de 11% e Barcelona com cerca de 10%. “Este aumento das rendas prime de forma generalizada na Europa é sinal de uma procura bastante ativa”, refere a Worx. 
Relativamente a Lisboa, prevê-se que se mantenha a continuidade desta procura ativa a um ritmo constante, abrandando à medida que novos edifícios forem entrando no mercado. O pipeline de edifícios em construção, e/ou em início, projetam para 2020/22 cerca de 198.000 m² (ainda em construção), aos quais se somam mais 120.000 m2, que ainda não iniciaram obras mas que se preveem que estejam concluídas no período projetado. No total , conclui-se, serão cerca de 320.000 m2 de novos espaços. 

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.