15 / Dezembro / 2019

Domingo

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

“Prémio Concreta Under 40” entregue a AND-RÉ

21 de Novembro de 2019 às 10:34:17

tamanho da letra:

Notícias

A equipa criativa AND-RÉ formada pelos jovens arquitetos Bruno André e Francisco Salgado Ré, foi a vencedora do “Prémio Concreta Under 40”, que tem como principal objetivo divulgar e reconhecer o trabalho desenvolvido pelos jovens arquitetos portugueses.

O galardão, no valor de 2.000 euros, foi conquistado com a obra “CAA – Centro de Artes de Águeda”, que o júri distinguiu “pela generosidade da construção de um espaço público naquela cidade, em simultâneo com o desenho de um equipamento urbano com programa funcional e técnico complexos, demonstrando maturidade na articulação destes requisitos”, refere-se em comunicado.
O projeto vencedor responde ao desafio de criar uma solução totalmente adaptada ao contexto, não só físico, mas também cultural, económico e político. O edifício, com 4.500m2, distingue-se “pela complexidade da construção e prima pela funcionalidade, com três espaços dinâmicos – o auditório com 600 lugares, a sala de exposição e o café concerto”, acrescenta-se em comunicado.
Fundado em 2008, por Bruno André e Francisco Salgado Ré, AND-RÉ é um estúdio criativo que se dedica a uma prática que combina arquitetura design. Com vários prémios e nomeações no currículo, o atelier que tem por base Portugal, está também presente no Brasil, Suíça e Emirados Árabes Unidos.
O prémio, que foi entregue no primeiro dia da Concreta - Feira de Construção, Reabilitação, Arquitetura e Design, que decorre até ao dia 24 de novembro na Exponor, tem, pela segunda vez consecutiva, o patrocínio da CIN, o que “reforça a importância que a marca atribui à arquitetura e ao talento português, promovendo obras construídas em território nacional que se destacam pela capacidade criativa e de inovação, aliadas à qualidade técnica”, acrescenta-se no referido comunicado.
As obras a concurso foram avaliadas de acordo com “a qualidade arquitetónica e construtiva, a autenticidade com integração, a capacidade de inovação e a valorização da arquitetura”. Com o apoio técnico do Conselho Diretivo Regional do Norte da Ordem dos Arquitetos, a avaliação e premiação das obras submetidas ficaram a cargo de um júri constituído pelos arquitetos João Mendes Ribeiro, Teresa Novais, Diogo Aguiar e Luís Pedro da Silva, bem como da engenheira Sandra Pereira, coordenadora regional do Departamento de Projetos, Arquitetura e Engenharia da CIN.
As propostas do gabinete Rosmaninho+Azevedo - Arquitectos, cuja obra “Centro Interpretativo do Vale do Tua” se distinguiu “pela sensibilidade no desenho e pela reinterpretação dos processos construtivos”, Fábio Ferreira Neves, que com obra “Pátio do Meco” demonstrou “um exercício de grande abstração e um equilíbrio ao nível das dimensões e proporções”, e de António José Beça, do Fundo Ferreira, pelo seu trabalho de investigação, “rigoroso e de preservação” feito no projeto “Bloco de Costa Cabral – Apartamento 6º Dto”, foram também destacadas com uma menção honrosa.
Nesta 2ª edição do Prémio Concreta entraram a concurso 25 obras construídas em território nacional, da autoria de arquitetos portugueses até aos 40 anos de idade.  Das candidaturas validadas, foram selecionados 10 trabalhos finalistas, cujos trabalhos foram expostos na Concreta. 

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.