12 / Novembro / 2019

Terça

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Preços das casas suavizam mas mantêm subidas perto dos 15%

25 de Outubro de 2019 às 15:32:19

tamanho da letra:

Notícias

O preço de venda das casas em Portugal aumentou 14,7% em termos homólogos no 3º trimestre de 2019, o que traduz uma ligeira ligeira desaceleração face à taxa de variação homóloga registada no trimestre anterior e confirma a tendência de suavização na valorização que esse trimestre veio marcar.

Os dados são do Índice de Preços da Confidencial Imobiliário, indicador que acompanha a evolução do comportamento dos preços de habitação com base nas transações de venda. 
Segundo este indicador, no 2º trimestre, a subida homóloga dos preços fixou-se em 14,8%, um nível elevado, mas que recuou 1,1 pontos percentuais face ao pico de 15,9% atingidos no final do 1º trimestre de 2019. 
Em termos trimestrais, a nota no final de setembro é também de perda de intensidade na subida, com o aumento de 3,2% agora observado a ficar 0,7 pontos percentuais abaixo dos 3,9% registados no 2º trimestre. 
Não obstante a suavização trazida no 3º trimestre, quer a subida homóloga, quer a trimestral estão em linha com os níveis de crescimento que marcam o forte ciclo de valorização da habitação nos últimos dois anos. Neste período, que consolida a recuperação do mercado residencial, o preço de venda das casas tem subido quase sempre em torno dos 15% em termos homólogos e acima dos 3,0% em termos trimestrais. 
A evolução dos preços ao longo destes últimos dois anos foi de tal forma expressiva que, se em setembro de 2017 o mercado ainda não tinha recuperado das perdas do período da crise (de 2007 a meados de 2013), um ano mais tarde, em setembro de 2018, os preços já estavam 10,6% acima dos níveis pré-crise (2007). No final de setembro de 2019, essa recuperação é já de 26,9%.
“Os dados do índice relativos ao 2º trimestre mostram que a dinâmica de valorização tem sido cada vez menor em Lisboa (que teve uma valorização de 9,6% nessa altura), sendo agora liderada por outras cidades nessa região e no Porto. Os dados do 3º trimestre ainda não estão apurados ao nível concelhio, mas é de esperar que esse comportamento se confirme neste período”, comenta Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.