05 / Dezembro / 2019

Quinta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Novo terminal de Sines vai custar 642 milhões de euros a privados

25 de Julho de 2019 às 15:16:00

tamanho da letra:

Notícias

O Conselho de Ministros aprovou o decreto-lei que estabelece e regula as bases da construção e exploração de um novo terminal de contentores no porto de Sines, designado Terminal Vasco da Gama.

“Este investimento privado, a atribuir em procedimento de contratação internacional, vai ao encontro dos objetivos do Governo em matéria de infraestruturas portuárias, com reflexos na economia ao nível da criação de emprego, da exportação de serviços e facilitação das exportações nacionais”, lê-se no comunicado emitido após a reunião do dia 25 de julho.
Na mesma altura, foi também aprovado o decreto-lei que altera as bases da concessão da exploração, em regime de serviço público, do Terminal XXI, também no porto de Sines.
«Este é um momento importante para o sistema portuário nacional e para a economia nacional», afirmou a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, sobre a autorização e lançamento do concurso público internacional para a concessão do terminal portuário Vasco da Gama agora aprovado.
Na conferência de imprensa após a reunião, a governante referiu que este investimento – “totalmente privado e estimado em 642 milhões de euros” - irá aumentar a capacidade de movimentação do porto de Sines para três milhões de TEU e que o seu novo cais permitirá a “atracação simultânea dos três maiores navios do mundo” de transporte de contentores.

Mais 547 milhões para o Terminal XXI

O Conselho de Ministros aprovou também as alterações às bases da concessão da exploração, em regime de serviço público, do Terminal XXI, também no porto de Sines. Esta medida permitirá que o mesmo passe a ter capacidade para acolher entre três a quatro navios em simultâneo, segundo estimativa do Governo. Neste caso, o investimento será de 547 milhões de euros e será suportado pela concessionária atual PSA Sines, permitindo um aumento de capacidade de 2,7 milhões para mais de 4 milhões de TEU.
Ana Paula Vitorino referiu que, com estes dois projetos, “o porto de Sines passará a ter uma capacidade de movimentação de contentores superior a 7 milhões de TEU, em linha com aquilo que é a capacidade e a produtividade associada aos portos internacionais, que são diretamente concorrentes, como é o caso dos portos do norte de África (Marrocos), dos portos espanhóis e dos portos do norte da Europa”.
São investimentos que, acrescentou a ministra, “permitem, de facto, que a nossa economia cresça”, destacando que, desde 2004, houve um crescimento de movimentação de contentores no  porto de Sines de 8 mil por cento, isto é, “quase 40% ao ano”.




Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.