15 / Dezembro / 2017

Sexta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Novos centros comerciais somam 11 milhões de metros quadrados na região EMEA

22 de Novembro de 2017 às 17:26:46

tamanho da letra:

Notícias

No primeiro semestre de 2017, foram inaugurados um milhão de m2 em novos centros comerciais na região Europa, Médio Oriente e África (EMEA), estando ainda em desenvolvimento mais de 11,1 milhões de m2 de novos espaços.

Meydan One Mall, Dubai

Esta é uma das conclusões do mais recente relatório da CBRE “EMEA Shopping Centre Development”, subordinado à expansão dos projetos de retalho da região em análise.
Cristina Arouca, diretora de Research da CBRE Portugal, refere que, “Em Portugal, onde o mercado de centros comerciais se encontra num estado maduro e com uma boa cobertura geográfica, o desenvolvimento de novos projetos é hoje em dia limitado. O ano de 2017 regista apenas duas inaugurações – do Mar Shopping Algarve e do Évora Fórum, com um total de 81.100 m2 - e não existe mais nenhum projeto em construção, ou seja, não há previsão de novas aberturas para os próximos anos. Contudo, à semelhança do que se observa pela Europa fora, existem alguns projetos de expansão em curso ou em fase de estudo. As obras de ampliação do Oeiras Parque e do NorteShopping arrancaram recentemente e em 2018 está também previsto o início das obras no Colombo, em Lisboa, e no Glicínias Plaza, em Aveiro.”

Turquia, Emirados e Rússia respondem por 50% dos projetos em construção

De acordo com o relatório, a Turquia, os Emirados Árabes Unidos (EAU) e a Rússia são os países mais ativos em termos de desenvolvimento de centros comerciais e representam mais de 50% dos projetos em construção. Na primeira metade do ano, a Turquia atingiu 300 mil m2 de novos espaços concluídos e continua a ter o maior pipeline de desenvolvimento de shoppings no período em análise, com 2,2 milhões de m2 de espaço em construção.
A seguir à Turquia, surgem os EAU com 2 milhões de m2 de espaço atualmente em construção. Neste país, o Dubai representa mais de três quartos do desenvolvimento. Os novos projetos procuram diferenciar-se com a oferta de atrações e experiências que são difíceis de replicar online. É de assinalar a proposta diferenciadora do centro comercial Meydan One Mall, que inclui mais de 100 lojas de restauração, a maior pista de ski interior e uma área dedicada às marcas de luxo.
Na Europa, os países de Leste são os mais ativos no desenvolvimento de centros comerciais, com a Rússia, a Polónia e a Ucrânia a apresentarem um elevado número de projetos em construção. Atualmente, os projetos em construção na Rússia ascendem a 1,9 milhões m2, em resultado da melhoria dos principais indicadores macroeconómicos, conjugados com uma previsão de elevado volume de vendas no retalho, que está a aumentar a confiança dos promotores e construtores.
 
Reino Unido lidera na Europa Ocidental

O Reino Unido tem a decorrer o maior volume de centros comerciais em desenvolvimento na Europa Ocidental, com um total de 460 mil m2 de novos espaços em construção, com previsão de inauguração nos próximos cinco anos.
O segundo maior plano de desenvolvimento de centros comerciais, pertence à França, com 409 mil m2, seguida pela Espanha com 345 mil m2 de novos espaços. De acordo com o estudo da CBRE, a recuperação da economia espanhola tem ajudado a melhorar a performance dos ativos bem como a confiança dos promotores e construtores.
A expansão de centros comerciais continua a ser uma opção bastante popular para conseguir mais espaço comercial, especialmente, nos mercados da Europa Ocidental. As ampliações representaram 20% do stock de centros comerciais na região EMEA, com o Reino Unido, a Irlanda e a Áustria a liderararem os projetos de ampliação em curso. Aliás, o Reino Unido detém um dos maiores projetos de expansão de centros comerciais na Europa, com 69 mil m2 no Westefield London.
Andrew Phipps, diretor de Research de Retail no Reino Unido & EMEA da CBRE, explica que “o nível de centros comerciais em construção mantém-se estritamente correlacionado com as previsões de vendas de retalho. Sem surpresa, os mercados para os quais está previsto um elevado volume de vendas são, particularmente, atrativos para os construtores, uma vez que quer os retalhistas como a ocupação dependem do crescimento contínuo dos mercados.”
O mesmo responsável sublinha ainda que “a expansão dos centros comerciais está a impulsionar o aumento dos níveis de construção e evidencia que os centros comerciais bem sucedidos estão preparados para se adaptar à mudança estrutural no mercado retalhista e a contrariar o comércio online, providenciando mais espaço para uma verdadeira experiência no retalho.”

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.