24 / Junho / 2018

Domingo

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Imobiliário em crescimento leva investidores a olharem para cidades secundárias e segmentos alternativos

26 de Junho de 2017 às 12:37:02

tamanho da letra:

Notícias

Depois de ter atingido cerca de 10 mil milhões de euros em 2016, o volume de capital direcionado ao imobiliário ibérico deverá continuar a crescer em 2017, num ambiente de maior competitividade na compra de ativos, concluíram os investidores e operadores imobiliários presentes no Iberian Property Summit, que se realizou no passado dia 20 de junho em Londres.


 

O evento reuniu na capital inglesa 150 profissionais do setor imobiliário internacional, incluindo mais de uma centena de asset managers e os principais investidores imobiliários globais da atualidade, como a Castelake, a CBRE GI, a Blackstone, a AXA REIM ou a Schroeders, entre vários outros. Contou ainda com o contributo das principais SOCIMIS (Sociedades Anónimas Cotadas de Investimento no Mercado Imobiliário)  e das cotadas de Espanha – como a Colonial, a Neinor e a Hispania - e ainda da SAREB, que gere o processo de desinvestimento em ativos imobiliários da banca em Espanha. Organizado pela Iberian Property, o evento decorreu no Hyatt Regency – The Churchill e contou com a participação de mais de 20 oradores de renome, tendo-se traduzido, segundo a organização, “num verdadeiro êxito”.

Se Madrid, Lisboa e Barcelona e os segmentos de escritórios, retalho, hotelaria e logística tendem ainda a ser o foco principal do investimento imobiliário na Ibéria, ficou claro nesta conferência que, face ao aumento da procura pela região, os investidores equacionam, cada vez mais, adquirir quer ativos localizados noutras cidades ibéricas, quer em segmentos alternativos. A entrada em projetos de promoção imobiliária como alternativa à aquisição de ativos consolidados de rendimento é uma das possibilidades, mas também os ativos direcionados para o arrendamento residencial em Espanha foram apontados como uma opção interessante.

O mercado imobiliário Ibérico “é verdadeiramente vibrante, cheio de oportunidades e, neste momento, realmente interessante”, afirmou na ocasião, Rupert Nabarro, chairman do evento, fundador do IPD (agora parte da MSCI) e um dos nomes mais reconhecidos da comunidade imobiliária britânica.

O crescimento exponencial de ambos os mercados e a recuperação franca da economia ibérica, confirmada pela análise do economista Daniel Lacalle, são fatores evidenciados pelos investidores, que apontam ainda como positivo o aumento do ticket médio das transações num mercado em que os retornos têm sido sustentados e batem recordes europeus. De acordo com os números apresentados pela MSCI no evento, mesmo apesar dos anos mais desafiantes das economias ibéricas, o imobiliário ibérico devolve aos investidores um retorno médio anual de 7% nos últimos 16 anos.

No momento atual, o impacto da saída do Reino Unido da União Europeia esteve também sobre a mesa, com os intervenientes a concluir que uma das principais vantagens do Brexit para o mercado imobiliário ibérico será nos mercados ocupacionais, tendo em conta o potencial de relocalização, não só de instituições europeias, como de empresas que pretendam abordar os mercados europeus num regime aberto e o deixem de poder fazer a partir de Londres. Todos foram, contudo, consensuais no reconhecimento de que os reflexos negativos do Brexit, quer no Reino Unido, quer na restante Europa, não são ainda previsíveis, dado não terem sido concluídas as negociações para as condições da saída.

O Iberian Property Summit  apresentou-se em Londres com o duplo objetivo de fornecer informação qualificada sobre o mercado imobiliário ibérico à comunidade internacional de investidores e facilitar o encontro entre os principais decisores da indústria. O evento foi organizado pela iniciativa Iberian Property, contando com o apoio das principais associações e organismos aglutinadores do investimento imobiliário a nível global, europeu e nacional, incluindo do RICS-Royal Institution of Chartered Surveyors, da EPRA –European Public Real Estate Association, e da ULI – Urban Land Institute. A ASPRIMA – Asociacíon de Promotores Inmobiliarios de Madrid, a ACI – Asociacíon Española de Empresas de Consultoría Inmobiliário, a APFIPP – Associação Portuguesa dos Fundos de Investimento, Pensões e de Património e a APPII – Associação Portuguesa dos Promotores e Investidores Imobiliários são as entidades ibéricas que se associam ao evento, patrocinado pela CBRE e pela Uría Menéndez.

 

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.