11 / Dezembro / 2019

Quarta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Investimento imobiliário em crescimento

07 de Outubro de 2013 às 16:45:00

tamanho da letra:

Notícias

Apesar da situação económica na zona euro, o imobiliário continua a ser uma alternativa consistente para investimento, o que se traduz em sinais de recuperação do mercado.

A conclusão é da Worx e consta do estudo WMarket Review referente ao primeiro semestre do ano, segundo o qual o interesse dos investidores por imobiliário comercial está em forte crescimento, tendo-se assistido a um aumento de 10% no volume total de investimento na Europa Ocidental, em redor os 54,1 mil milhões de euros.
Em Portugal, volume de investimento no 1º semestre de 2013, na ordem dos 190 milhões de euros, representa um aumento significativo face ao volume registado no mesmo período do ano passado.

Interesse mantém-se em ativos prime

O estudo adianta ainda que “o interesse dos investidores permanece em ativos prime, existindo um crescente interesse de investidores internacionais, além dos nacionais, com várias operações de investimento em perspetiva para o final do ano”.
O dinamismo do mercado no 1º semestre deveu-se sobretudo “às transações na área de retalho que correspondem a cerca de 70% do volume total de investimento”.
De salientar a aquisição de 50% do CascaisShopping pela Sonae. Segundo Pedro Valente, responsável pelo Departamento de Capital Markets, “no decorrer do 2º semestre estão em perspetiva vários negócios de grande dimensão na área dos escritórios, com diversos investidores internacionais a concluir operações de investimento”.

Comércio de rua em contraciclo

Em simultâneo, o comércio de rua continua em contraciclo, com forte procura nas zonas prime e um aumento da vacancy nas zonas secundárias.
A Avenida da Liberdade e o Chiado mantêm-se as zonas mais atrativas para o crescimento do retalho de rua, continuando a atrair um conjunto de insígnias de luxo. Nestes locais os valores de arrendamento permanecem elevados, existindo mesmo uma ligeira pressão de subida dada a forte procura, continuando por isso a ser um investimento com elevado interesse.
“O primeiro semestre foi fortemente marcado pelas transações na área de retalho. A transação concluída pela Worx, a venda da loja da Nike na Rua Garret, demostra que o comércio de rua se impõe como uma opção muito atrativa para os investidores que apostam em ativos em zonas prime e em arrendamentos de longa duração com inquilinos fiáveis. É de salientar também que os investidores nacionais são os grandes responsáveis pelo aumento do volume de negócios no 1º semestre, estando atentos a boas oportunidades de investimento” acrescenta Pedro Valente.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.