26 / Agosto / 2019

Segunda

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Ciclo de grandes eixos viários na região de Lisboa encerrado

20 de Maio de 2013 por Lurdes Neto às 11:52:40

tamanho da letra:

Notícias

Lisboa passou a contar com mais duas vias estruturantes que visam facilitar a entrada e a saída da cidade entre a 2.ª Circular, o Campo Grande e a Porta Norte.

A Avenida Santos e Castro e o Eixo Central, assim se designam as referidas artérias, foram inauguradas no passado dia 18 de maio pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), António Costa, que no final da respetiva cerimónia ativou também o sistema semafórico das infraestruturas viárias.
Segundo informação disponível no site da autarquia Lisboeta, a Avenida Santos e Castro funcionará como novo eixo de distribuição viária, estabelecendo a ligação entre o Eixo Norte-Sul e a 2ª Circular, enquanto o Eixo Central, com a sua grande alameda, de perfil idêntico ao da Avenida da Liberdade, liga o “grande corredor verde” entre o Campo Grande, o Parque das Conchas e o Parque Oeste.
Com início na Porta Sul, que se assume como a porta de entrada por excelência da Alta de Lisboa, as duas vias, diz a autarquia, “permitem uma maior fluidez do trânsito a partir do Campo Grande e da 2ª Circular, aproximam a alta da cidade ao centro e estabelecem ligações viárias com a área urbana envolvente.
Na sua intervenção, António Costa referiu que a inauguração da Avenida Santos e Castro é, antes de mais, uma homenagem a Santos e Castro, antigo presidente da autarquia lisboeta, que deu início ao projeto agora concluído.
O autarca afirmou ainda que as novas vias encerram “o ciclo dos grandes eixos viários na região de Lisboa” e a conclusão “de um ciclo de grandes operações de urbanização na cidade” e que são “dois eixos fundamentais” da Alta e Lisboa, uma vez que a Avenida Santos e Castro vai permitir às populações de Camarate, da Ameixoeira e da Charneca chegarem mais rapidamente ao centro da cidade, ajudando a descongestionar a avenida Padre Cruz e o Eixo Norte-sul.
Em relação ao Eixo Central da Alta de Lisboa, o edil referiu que, "esta última parcela da capital que falta urbanizar", será a coluna vertebral da cidade. Em causa está uma via com a largura da Avenida da Liberdade, servida por um grande parque verde na zona central, passeios e áreas de circulação ciclável. Projetada há cerca de 15 anos pelo atual vice-presidente da CML, Manuel salgado, esta é “uma avenida de características urbanas que vai suportar nas próximas décadas o desenvolvimento de toda esta área, com uma especial qualidade do desenho urbano”, representando “uma grande valorização de toda zona da Alta de Lisboa”.
Também presentes nas cerimónias estiveram a presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Simonetta Luz Afonso, os vereadores dos pelouros do Urbanismo e da Mobilidade, respetivamente, Manuel Salgado e Nunes da Silva, o presidente da Câmara de Loures, Carlos Teixeira, os presidentes das juntas de freguesia da Charneca, Maria da Graça Ferreira, e do Lumiar, Nuno Roque, e o representante da SGAL (Sociedade Gestora da Alta de Lisboa), Dionísio Vinagre, além do deputado Ribeiro e Castro, em representação da família do homenageado Santos e Castro, entre outros convidados e população residente.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.