23 / Setembro / 2019

Segunda

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Notícias ver todas os artigos desta secção

Um milhão de euros para projetos de eficiência energética em edifícios

22 de Abril de 2013 por Lurdes Neto às 11:51:15

tamanho da letra:

Notícias

O prazo para a presentação de candidaturas à atribuição de incentivos financeiros a projetos de Demonstração de Contratos de Gestão de Eficiência Energética em edifícios, promovida pelo Fundo de Apoio à Inovação, foi alargado até ao dia 31 de maio.

O concurso apoiará projetos que visem melhorar o perfil energético dos edifícios privados da área de escritórios, hospitalar e turismo e, por conseguinte, diminuir a fatura mensal dos custos de energia. São financiados três projetos, um em cada área, com um total de um milhão de euros.
O prazo para candidaturas foi alargado para o final de maio, num projeto gerido pelo Ministério da Economia e do Emprego, através do Fundo de Apoio à Inovação (FAI), com o apoio da ADENE.
Estes projetos serão executados através das denominadas ESE - Empresas de Eficiência Energética, que desenvolvem e implementam projetos de racionalização e poupança de energia, com o objetivo de permitir que as organizações e instituições reduzam os consumos energéticos e, assim, na respetiva fatura, sem terem de efetuar investimento. 
O trabalho das ESE tem já reconhecido sucesso na Europa, sobretudo devido ao modelo que seguem, visto que garantem aos seus clientes (os proprietários privados dos edifícios) o retorno dos investimentos em períodos que vão dos cinco aos 20 anos.
Mesmo em situações em que não haja a possibilidade de recorrer a fundos comunitários, as ESE podem garantir os financiamentos e os investimentos necessários aos projetos e são remuneradas através das economias geradas, ou seja, com as poupanças conseguidas na fatura mensal dos custos energéticos das empresas.
O Fundo de Apoio à Inovação (FAI), recorde, apoia projetos de inovação e desenvolvimento tecnológico e projetos de demonstração tecnológica nas áreas das energias renováveis e da eficiência energética, bem como projetos de investimento em eficiência energética, estimulando parcerias entre empresas portuguesas e o sistema científico e tecnológico nacional. Inicialmente vocacionado para projetos de investigação, desenvolvimento e inovação, o Fundo viu o seu âmbito alargado ao investimento em eficiência em julho de 2012.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.