19 / Setembro / 2021

Domingo

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Construção volta a crescer em 2021

08 de Fevereiro de 2021 às 11:28:21

tamanho da letra:

Economia

O setor da Construção deverá manter em 2021 uma evolução globalmente positiva, e atingir, no final do ano, um crescimento entre 1,2% e 3,2%.

A previsão é da AECOPS e da AICCOPN, que destacam, na sua mais recente análise de conjuntura, o facto de tal evolução representar um valor médio de 2,2%, "ligeiramente inferior ao crescimento de 2,5% estimado para 2020".
Para o cálculo destas associações, concorrem as suas previsões de:

- uma variação da produção do segmento da construção residencial entre -2% e 0%, justificada pelo abrandamento de investimentos já previstos, em função da incerteza global, mas também indiciada pela quebra no licenciamento de obras, a qual era já, até novembro de 2020 e em termos homólogos, de 1,3% no número de fogos novos e de 8,1% nas obras de reabilitação;
 - uma redução entre 2,1% e 0,1% da produção do segmento da construção não residencial, em virtude, por um lado, da diminuição da atividade da sua componente privada, que, após uma quebra de 2% em 2020, deverá contrair-se cerca de 3,0% em 2021, a avaliar pelo volume da área licenciada até outubro de 2020 e que foi de menos 106,3 mil m2 face ao mesmo período do ano anterior, e, por outro lado, do crescimento da sua componente pública em redor dos 2%, semelhante ao ocorrido em 2020, em função da evolução muito positiva do mercado das obras públicas ao longo do ano passado;
- uma "duplicação da taxa de crescimento" da engenharia civil, de 3,0% estimada para 2020 para 6,0% em 2021, no ponto médio do intervalo de previsão, assim se verifique "o reforço do peso do investimento público no PIB (…)", para além do já constatado "expressivo aumento dos montantes de empreitadas de obras públicas promovidos e celebrados em 2020 (…)."   
A respeito deste último indicador, refira-se que, até 31 de dezembro passado, foram registados no Portal Base cerca de 11 mil contratos de empreitadas de obras públicas, num valor total da ordem dos 3,1 mil milhões de euros, o que reflete acréscimos homólogos de 10,1% em número e 32,9% em valor.
Em síntese, concluem a AECOPS e a AICCOPN, "2021 será certamente um ano ainda marcado pelos efeitos da pandemia de Covid-19, com elevado grau de incerteza em diversos planos, desde o sanitário ao económico, e com um esperado impacto particularmente negativo ao nível social. Não obstante, e à semelhança do observado ao longo de 2020, espera-se que a atividade do setor da Construção permaneça favorável, atingindo uma taxa de crescimento em redor dos +2,2% em termos reais".




Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.