29 / Novembro / 2020

Domingo

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Setor mantém boa performance, mas incertezas aumentam receios

05 de Novembro de 2020 às 15:48:36

tamanho da letra:

Economia

Apesar da situação de crise ditada pela pandemia de Covid-19, a Construção mantém uma elevada resiliência, conforme atestam os mais recentes dados apurados sobre a performance do Setor.

Porém, as incertezas quanto à evolução da pandemia aumentam os receios sobre o andamento da economia neste final de ano, o que não deixará de se refletir na atividade da Construção. 
De acordo com a mais recente análise de conjuntura da Construção, todos os indicadores setoriais, da habitação às empreitadas de obras públicas, revelaram crescimentos assinaláveis. 
Assim, no 3.º trimestre de 2020, o consumo de cimento registou uma subida homóloga de 11,7%, elevando para 2,7 milhões de toneladas o consumo desta matéria-prima desde o início do ano. 
Nos três meses terminados em agosto, o licenciamento total cresceu 8% face a igual período do ano anterior, o que, contudo, não permitiu recuperar das fortes quebras sentidas no período do confinamento, pelo que, no cômputo dos oito meses de 2020, a variação ainda permanece negativa. 
Em contrapartida, assistiu-se no mês de agosto a um forte impulso ao crédito para aquisição de habitação, (+11,6% em termos homólogos), o que aumenta para 7.127 milhões de euros o montante já concedido desde o início do ano e que corresponde uma variação de 7,1% em termos acumulados.  
Em setembro, o valor mediano de avaliação bancária, no âmbito da concessão de crédito à habitação, manteve-se em 1.128 euros/m2, traduzindo uma subida de 5,8% (+62 euros/m2), quando comparado com setembro de 2019.
Por fim, no segmento das obras públicas, o 3º trimestre de 2020 encerrou com variações positivas de 17,3% e 13,9%, respetivamente, dos concursos promovidos e contratos celebrados.
"Esta evolução é, no entanto, fortemente condicionada pelo significativo aumento da incerteza em torno do comportamento do atual surto pandémico e pela possibilidade de ressurgimento de medidas restritivas, cujos impactos na economia poderão ser muito significativos no conjunto da atividade económica", concluem a AECOPS e a AICCOPN na sua análise do Setor, relativa ao mês de outubro de 2020.


Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.