22 / Outubro / 2019

Terça

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Setor Imobiliário recupera para valores anteriores a 2008

02 de Outubro de 2019 às 11:47:34

tamanho da letra:

Economia

Segundo os dados divulgados recentemente pelo INE e relativos ao primeiro semestre de 2019, continuam a verificar-se aumentos no número e no valor das transações de fogos habitacionais em Portugal, com o nível das vendas a recuperar para o patamar anterior à crise financeira internacional de 2008.

De acordo com a informação agora conhecida, foram transacionados em Portugal, no primeiro semestre de 2019, 86,4 mil fogos, num montante de 12,2 mil milhões de euros, o que, traduzindo crescimentos homólogos de 0,1% em número e de 5% em valor face a 2018, conduziu a máximos absolutos da série iniciada em 2009.  
Das transações apuradas no período em análise, mais de 80% corresponderam a fogos já existentes, tanto em número de fogos, como em valor (86% do número e 81% do valor total das transações), registando crescimentos em ambas as variáveis. No que concerne aos fogos novos, que originaram 12,5 mil transações ao longo do primeiro semestre de 2019, registou-se uma descida no número de transações face ao primeiro semestre de 2018, -136 fogos, o que veio contrariar a tendência de crescimento verificada desde 2014. Pelo contrário, o valor médio de venda por fogo novo manteve a tendência anterior de crescimento, tendo variado +7,5% face aos valores do primeiro semestre de 2018. Também o valor médio de venda dos fogos já existentes cresceu face a 2018, mas de forma menos intensa (+4,3%).
A região do país onde se registou o maior número de transações de fogos foi a Área Metropolitana de Lisboa, onde se realizaram 35% do número total de transações realizadas no primeiro semestre de 2019 e 47% do seu montante total. Em termos de evolução, a região Centro, que em 2018 já pesava mais de 17% do número total de transações, destacou-se pela evolução positiva que registou, tanto em número (+10%), como em valor de vendas apurado (+16%). Já a região Norte e a Área metropolitana de Lisboa, que em conjunto respondem por mais de 60% do número total de transações, sofreram, em 2019, reduções homólogas no número de fogos transacionados.
Esta evolução positiva do imobiliário surge em linha com o crescimento de 7,5% estimado pela FEPICOP para o segmento da construção de edifícios residenciais para o ano de 2019 e que é o principal contributo para a evolução de +4,0% estimado para o total do Setor.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.