21 / Novembro / 2019

Quinta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Construção revela forte dinamismo no início de 2019

03 de Julho de 2019 às 10:16:01

tamanho da letra:

Economia

Os valores divulgados pelo INE confirmam a evolução positiva da Construção, com crescimentos homólogos de 7,6% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) do Setor e de 12,4% da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) em construção.

Em linha com esta evolução, confirmada pelas Contas Nacionais Trimestrais relativas ao primeiro trimestre de 2019 e disponibilizadas recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística, o Inquérito ao Emprego, também da responsabilidade do INE, aponta para um aumento do número de pessoas empregues no setor da Construção nos três primeiros meses do ano e face ao período homólogo (+1,6%, correspondente a +4,8 mil trabalhadores no Setor). Segundo o mesmo Inquérito, trabalharam na Construção, em média nesse período, 308,7 mil pessoas.
Igualmente positivo é o facto de o desemprego oriundo da Construção, avaliado pelo número de desempregados do Setor inscritos nos centros de emprego, se encontrar em mínimos da série, iniciada em 2008. De facto, em abril deste ano, encontravam-se 24 mil trabalhadores da construção inscritos nos centros do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), -25,7% que no mesmo mês de 2018, o que traduzia uma redução mais intensa do que a do total dos desempregados (290,3 mil pessoas, fruto de uma diminuição de 13,9% relativamente a abril de 2018).
Estes indicadores mostram a resposta do Setor à procura muito dinâmica no mercado imobiliário (traduzida num crescimento homólogo de 6,3% no montante de novas operações de crédito para aquisição de habitação contratadas durante os primeiros 4 meses do ano e num aumento de 17% no número de fogos novos licenciados até abril), mas igualmente ao reforço da procura pública dirigida a produtos da Construção (com o valor dos contratos de empreitadas de obras públicas adjudicados a crescer 55% até maio, face ao período homólogo, e com o montante das obras lançadas a concurso a aumentar 72% durante o mesmo período).
Por seu turno, o consumo de cimento cresceu 19% até maio, em termos homólogos, o que contribuiu para um consumo acumulado de 1,35 milhões de toneladas durante os primeiros cinco meses do ano, um máximo dos últimos sete anos, confirmando o acréscimo da atividade das empresas de construção.
Em síntese, a mais recente análise de conjuntura da FEPICOP conclui que o primeiro trimestre de 2019 revelou-se o mais dinâmico dos últimos anos, no que à atividade do setor da Construção diz respeito.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.