17 / Setembro / 2019

Terça

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Edifícios licenciados aumentaram 10,7% no 1º trimestre de 2019

19 de Junho de 2019 às 09:39:42

tamanho da letra:

Economia

O número de obras licenciadas para construções novas aumentou 11,7 por cento no primeiro trimestre de 2019 face ao período homólogo, enquanto o número de obras de reabilitação aumentou 8,2 por cento.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, nos primeiros três meses do ano foram licenciados 6 mil edifícios, um crescimento de 10,7% face ao período homólogo, correspondendo a uma desaceleração face ao 4º trimestre de 2018 (+28,1%). Do total das licenças emitidas, 69,6% eram construções novas e, destas, 75,9% destinaram-se a habitação familiar. Os edifícios demolidos (454 edifícios) corresponderam a 7,6% do total de edifícios licenciados. A Região Autónoma dos Açores foi a única que apresentou uma variação negativa no número de edifícios licenciados (-3,6%). As restantes regiões do país apresentaram variações positivas face ao período homólogo, com destaque para a Região Autónoma da Madeira (+31,7%) e Algarve (+31,2%).
Face ao trimestre anterior, o licenciamento para construções novas cresceu 6,7% enquanto as obras de reabilitação aumentaram 4,9%. Também no licenciamento para construções novas, a Região Autónoma dos Açores registou a única variação negativa (-6,9%) face ao mesmo período do ano anterior. As restantes regiões apresentaram variações homólogas positivas, com destaque para a Região Autónoma da Madeira (+25,0%) e para o Algarve (+23,6%). No que diz respeito ao licenciamento para reabilitação de edifícios, a região Norte apresentou uma variação homóloga negativa (-4,5%) enquanto as restantes regiões apresentaram variações homólogas positivas, com destaque para o Algarve (+53,6%) e para a Região Autónoma da Madeira (+44,8%), salientando-se o aumento, em ambas as regiões, das obras de ampliação. 

Obras concluídas cresceram 7,2% 

No primeiro trimestre do ano, o número total de edifícios concluídos (construções novas, ampliações, alterações e reconstruções) registou um acréscimo de 7,2% face ao 1º trimestre de 2018. Estima-se que neste período tenham sido concluídos 3,7 mil edifícios em Portugal, correspondendo, na sua maioria, a construções novas (73,4%), das quais 73,3% tiveram como destino a habitação familiar. As regiões Norte e Alentejo apresentaram variações homólogas negativas nos edifícios concluídos: -2,1% e -0,6%, respetivamente. As restantes regiões apresentaram variações homólogas positivas, com destaque para a Área Metropolitana de Lisboa (+48,5%), a Região Autónoma dos Açores (+44,7%) e a Região Autónoma da Madeira (+16,4%). 
As obras concluídas em construções novas em Portugal aumentaram 8,2% face ao 1º trimestre de 2018 e as obras de reabilitação cresceram 4,6%. Em comparação com o trimestre anterior, as obras concluídas para construções novas decresceram 7,9% e as obras de reabilitação diminuíram 9,0%. 
Do total de edifícios concluídos no 1º trimestre de 2019, 66,6% localizaram-se nas regiões Norte e Centro, onde se situaram também 60,6% do total de fogos concluídos em construções novas para habitação em todo o país. Na região Norte situaram-se 37,3% dos edifícios e 35,2% dos fogos concluídos. Na Área Metropolitana de Lisboa foram concluídos 14,2% do total de edifícios e 22,4% do total de fogos do país. No 1º trimestre de 2019 verificou-se um acréscimo de 14,1% na área total construída em Portugal. Com exceção do Alentejo (-4,9%), todas as outras regiões registaram um aumento na área total construída face ao mesmo período do ano anterior. A Região Autónoma da Madeira, a Área Metropolitana de Lisboa e a Região Autónoma dos Açores foram as regiões com maior acréscimo relativo: +76,0%, +35,3% e +28,6%, respetivamente.


Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.