13 / Dezembro / 2018

Quinta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Criados 12 mil postos de trabalho na Construção

21 de Agosto de 2018 às 10:43:25

tamanho da letra:

Economia

O desempenho do setor da Construção manteve-se positivo durante o segundo trimestre do ano com a evolução dos diversos indicadores que lhe estão associados, com destaque para o emprego, a revelar-se favorável.

Segundo os resultados do Inquérito ao Emprego, citados na mais recente Análise de Conjuntura da FEPICOP, trabalharam, em média, 315,7 mil pessoas na Construção ao longo do segundo trimestre de 2018, mais 12 mil do que no trimestre anterior. Em termos acumulados até junho, os 309,8 mil trabalhadores do Setor representavam um acréscimo marginal (+100 trabalhadores) face ao período homólogo de 2017. A confirmar este aumento do emprego, regista-se uma quebra no número de desempregados oriundos da Construção e inscritos nos centros de emprego: -26,5%, em maio.
Também no consumo de cimento se observou uma expansão, com as variações homólogas acumuladas a ganharem maior expressividade ao longo do tempo: +2,9%, +3,6% e +4,7%, até maio, junho e julho de 2018, respetivamente.
Já no que respeita ao investimento privado, o número de fogos habitacionais licenciados cresceu, em termos homólogos, 36% durante os primeiros seis meses do ano, a par de um aumento de 33% na respetiva área de construção licenciada.
No que concerne à construção não residencial privada, o crescimento da respetiva área licenciada foi de 6% até junho, com aumentos mais expressivos nas áreas destinadas ao comércio (+48%) e à indústria (+16%). Em contrapartida, as áreas de edifícios destinados a turismo e a transportes decaíram de forma acentuada: -51% e -82%, respetivamente, face ao mesmo período de 2017.
Só a evolução dos dados relacionados com o mercado das obras públicas, e apurados com base na informação disponibilizada no PortalBase, é menos animadora, já que no que concerne ao lançamento de obras regista-se uma quebra no valor lançado a concurso (-7% face ao primeiro semestre de 2017). Em contrapartida, relativamente aos contratos celebrados, a dinâmica é positiva, com o montante total dos contratos de empreitadas de obras públicas celebrados a crescer 12% em termos homólogos até junho.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.