19 / Julho / 2018

Quinta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Construção com crescimento previsto de 4,5% em 2018

27 de Dezembro de 2017 às 11:32:08

tamanho da letra:

Economia

Em 2018, o setor da Construção deverá manter uma trajetória positiva, esperando-se um crescimento de 4,5% para o total da sua produção.

Esta previsão reflete um abrandamento do ritmo de crescimento face a 2017, ano para o qual se estima um aumento de 5,9%, mas, ainda assim, parece vir confirmar o início de um período de recuperação do Setor, após a grave e longa crise que este viveu desde 2002.
O segmento da construção de edifícios residenciais deverá crescer 7,0% esperando-se que venha a constituir o principal impulso para o crescimento do Setor em 2018. Tendo sido o segmento que sofreu a maior quebra de produção desde 2002 (-80% ao longo de 13 anos consecutivos), é igualmente aquele que começou a recuperar de forma mais consistente desde 2015, apresentando as taxas de crescimento anuais mais elevadas desde então. Também para 2018 a sua evolução deverá ser a mais positiva de entre os diversos tipos de trabalhos. A sua componente dos trabalhos de reparação/manutenção será a mais dinâmica, antecipando-se um crescimento de 9,7% para a sua produção em 2018, enquanto a construção nova, evidenciando uma trajetória positiva desde 2015, deverá manter-se mais moderada, com um crescimento previsto de 5,2%.
A produção do segmento dos trabalhos de engenharia civil deverá registar uma evolução de +4,0%, um crescimento inferior ao observado em 2017. A conclusão dos muitos trabalhos desenvolvidos aquando das eleições autárquicas que tiveram lugar em outubro de 2017 será uma das principais causas do abrandamento do ritmo de crescimento deste tipo de obras. Em contrapartida, o anunciado reforço do investimento público, já refletido na proposta de Orçamento do Estado para 2018, deverá vir a compensar parte da redução de produção daí resultante.
Por último, a construção de edifícios não residenciais deverá evoluir a uma taxa de +2,8% ao longo do ano, com a componente pública a crescer a um ritmo superior ao da componente privada (+4,0% e +2,0%, respetivamente). Também os trabalhos desenvolvidos por este segmento da construção beneficiarão do reforço do investimento público, que se espera venha a concretizar-se, em parte, em programas de recuperação de edifícios públicos, nomeadamente escolas e edifícios da área da saúde. Para a componente privada deste segmento antecipa-se um crescimento igual ao da média dos dois anos anteriores: +2,0%, apresentando-se em linha com o crescimento esperado para a economia.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.