21 / Agosto / 2018

Terça

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Licenciamento de fogos dispara no 2.º trimestre

14 de Setembro de 2016 às 15:11:00

tamanho da letra:

Economia

A evolução do mercado imobiliário residencial parece estar a animar as expectativas de retoma deste segmento do setor da Construção.

O licenciamento de fogos para habitação disparou no 2º trimestre de 2016, tendo registado um crescimento homólogo de 59,8% e um acréscimo de 39,5% face ao trimestre anterior, revelam os dados do INE sobre as obras licenciadas e concluídas nos meses de abril, maio e junho.
No período em análise foram licenciados 3189 fogos, ou seja, mais 904 do que no trimestre anterior.
Em termos acumulados até julho, esta evolução é ainda mais relevante, posto que o crescimento homólogo apurado pela AECOPS-Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços atinge 35,9% (traduzindo a emissão de mais 1.662 licenças face a igual período de 2015), a segunda variação positiva de que há registo nos últimos 16 anos.
Note-se que este indicador começou a cair para valores negativos no ano 2000 (variação homóloga de -4,30%), tendo batido no fundo em 2009, altura em que a variação homóloga foi de - 40,8%. O licenciamento de fogos só voltou a sair do vermelho o ano passado, altura em que o crescimento homólogo se fixou nos 21,1%.

Edifícios licenciados sobem 12,0%

Segundo os dados do INE, no 2º trimestre de 2016 os edifícios licenciados para construção aumentaram 12% face ao período homólogo (-4,3% no 1º trimestre de 2016), correspondendo a 4,2 mil edifícios.
Nos edifícios licenciados para construções novas observou-se um acréscimo de 12,2% (+2,8% no 1º trimestre de 2016) enquanto no licenciamento para reabilitação se registou um acréscimo de 10,6% (-11,3% no 1º trimestre de 2016).
Os edifícios concluídos diminuíram 10,7% (-13,8% no 1º trimestre de 2016) totalizando 2,5 mil edifícios.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados cresceu 9,7% (+1,0% no 1º trimestre de 2016) e os edifícios concluídos diminuíram 1,4% (-4,6% no 1º trimestre de 2016).
Conforme já acima referido, face ao 2º trimestre de 2015, os fogos licenciados em construções novas para habitação familiar aumentaram 59,8%, correspondendo a mais 38,2 p.p. face à variação registada no trimestre anterior (+21,7%).
As obras de reabilitação cresceram 10,6% face ao 2º trimestre de 2015.

Edifícios concluídos caem 10,7%

Já os edifícios concluídos diminuíram 10,7% (-13,8% no 1º trimestre de 2016), totalizando 2,5 mil edifícios.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados cresceu 9,7% (+1,0% no 1º trimestre de 2016) e os edifícios concluídos diminuíram 1,4% (-4,6% no 1º trimestre de 2016).
Nos 2,5 mil edifícios concluídos em Portugal, a maioria refere-se a construções novas (68,0%), das quais 62,7% tiveram como destino a habitação familiar.
No 2º trimestre de 2016 o número de fogos concluídos em construções novas para habitação familiar diminuiu 16,9%, correspondendo a menos 1,1 p.p. face à variação homóloga registada no trimestre anterior (-15,8%).
O Instituto conclui assim que “os sinais de retoma que se vêm verificando no licenciamento de obras continuam a ser pouco evidentes na conclusão de obras, de certa forma alinhado com o decréscimo que se foi sentindo nos últimos anos no licenciamento de obras, associado ao prazo médio de execução que, em 2015, foi de 21 meses (30 meses nos edifícios de apartamentos)”.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.