25 / Maio / 2018

Sexta

Diretor: José Tomaz Gomes | Editor: AECOPS

Economia ver todas os artigos desta secção

Construção inverte tendência após 13 anos de quebras

08 de Março de 2016 às 10:43:29

tamanho da letra:

Economia

Em 2015, verificou-se um crescimento de 3,0% do Valor Bruto de Produção (VBP) do setor da Construção, em resultado da evolução positiva de todos os seus segmentos de atividade (+5,0% no segmento da construção residencial, +5,1% no segmento da construção de edifícios não residenciais e +1,0% nos trabalhos de engenharia civil).

A evolução positiva do setor da Construção em 2015, que se segue a 13 anos consecutivos de quebras do seu volume de produção, refletiu-se nos crescimentos de 4,1% do investimento em construção e de 3,7% do VAB das empresas de construção (de acordo com os valores das Contas Nacionais Trimestrais disponibilizados pelo INE).
O emprego acompanhou o aumento da produção, com um crescimento de 0,6% em 2015, tal como o consumo de cimento (+6,9%).
O desempenho positivo do Setor assentou no forte dinamismo do segmento imobiliário, resultante do aumento da procura, particularmente a oriunda do exterior. Em termos de transações imobiliárias, no mercado residencial destaca-se o forte aumento do montante das novas operações de crédito para aquisição de habitação (+74%). Já no que concerne à construção nova de habitação, verifica-se um expressivo aumento do licenciamento (+19%), após 15 anos consecutivos de redução no número de fogos licenciados.
O mercado das obras públicas, refletindo a política orçamental restritiva e a redução do investimento público, manteve-se em declínio, com quebras de 37% no valor dos contratos de empreitadas de obras públicas e de 19% no montante de obras postas a concurso. 
Para 2016, antecipa-se uma evolução positiva, mas mais moderada do que em 2015, do nível de atividade da Construção, que poderá crescer 2,5%, com o segmento residencial a registar a evolução mais positiva (+4,0%), ao contrário da engenharia civil, com a taxa de evolução mais moderada (+1,5%). A construção não residencial deverá crescer em redor dos 3,0%.

Comentar

Iniciar Sessão

Nome de Utilizador

Palavra-chave

Se não tem conta,

Registe-se aquiEsqueceu-se da palavra-chave?

Comentar este artigo

Título

Texto

Os comentários deste site são publicados após aprovação, pelo pedimos que respeitem os nossos Termos de Utilização.
O seu IP não será divulgado, mas ficará registado na nossa base de dados.
Por favor, não submeta o seu comentário mais de uma vez.